quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Feliz 2018!

Ainda é "Tempo de Natal" (não é tempo comum!)... Iniciamos mais um ano. Novos desafios, novas possibilidades! Tempo de renovar a mentalidade antiga... Tempo de se achegar a Deus e aos irmãos... Tempo de iniciar novos passos!

Então, vamos começar bem 2018, com o RETIRO DIOCESANO para representantes paroquiais de catequese. Será no dia 27/01 Sábado, com o tema (adivinhem!) "Iniciação à vida cristã". (Estamos procurando entrar em contato com todas as paróquias! Temos apenas 200 vagas!) 

INSCRIÇÕES pelo link

A confirmação da inscrição será feita após o depósito da taxa de R$ 20 por pessoa (para o almoço). Faremos LANCHE COMUNITÁRIO, para o café da manhã. E utilizamos o sistema de CARONA SOLIDÁRIA (muito legal!), para o transporte do Ponto de Encontro até o Local do retiro  - por isso é importante responder direitinho se você vai: Precisar de carona, Dar carona (e quantas vagas?) ou Já tem carona (e quem vai te dar carona?).

Um abraço! Nos encontramos lá! 👊❤
Fiquem com Deus!


sábado, 16 de dezembro de 2017

Semana Litúrgica


A XXIV Semana Litúrgica foi totalmente voltada ao tema da Iniciação à vida cristã
Estive presente na Quarta e na Sexta-feira e vou fazer algumas anotações sobre os assuntos tratados nestes dias. 

Na Quarta-feira, o Pe. Diogo Shishito abordou a Iniciação cristã: uma Igreja a caminho
CATECISMO nr 1212 Pelos sacramentos da iniciação cristã; Batismo, Confirmação e Eucaristia são lançados os fundamentos de toda vida cristã. “A participação na natureza divina, que os homens recebem como dom mediante a graça de Cristo, apresenta certa analogia com a origem, o desenvolvimento e a sustentação da vida natural. Os fiéis, de fato, renascidos no Batismo, são fortalecidos pelo sacramento da Confirmação e, depois, nutridos com o alimento da vida eterna na Eucaristia. Assim, por efeito destes sacramentos da iniciação cristã, estão em condições de saborear cada vez mais os tesouros da vida divina e de progredir até alcançar a perfeição da caridade.”
Os Sacramentos formam a base firme que fundamenta, dá sustentação e assim possibilitam a mobilidade, o movimento da vida cristã na fé. Se pois se não sustentam nada, não podem ser base!

(...)






sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Reunião diocesana de NOVEMBRO

Iniciamos com a proclamação do evangelho de amanhã (Mt 25, 14-30 Parábola dos talentos) pela Irmã Daiane, a oração “Vinde, Espírito Santo...” e a dinâmica conduzidos pelo Rosildo. O evangelho nos fala dos dons, que devem ser partilhada; afinal, qual é o valor de uma luz que fica dentro de uma caixa? (cf. Mt 5, 14-16) somos luz, temos que sair da caixa; de dentro de uma caixa, então, tiramos lâmpadas acesas, para nos recordar disso. Assim, também devemos ser nós, lâmpadas que irradiam a luz de Deus, que anunciam Sua Misericórdia, Sua Justiça e Seu Amor. Finalizamos este momento com o cântico “O profeta” (Antes que te formastes... Anexo 2). Em seguida, passamos os assuntos da Pauta: 1. Avaliação da caminhada das paróquias no ano de 2017, 2. Calendário Diocesano da Catequese em 2018, 3. Outros. Os participantes da reunião foram divididos em 6 grupos para discutir algumas questões, a fim de AVALIAR A CAMINHADA. Depois, fizemos a plenária. Assim, pudemos perceber que a questão do TEMPO DE CATEQUESE foi bem avaliado, ainda que tenha uma certa variação (de um ano a dois, o período de preparação, e de uma hora a duas, o tempo do encontro de catequese) entre as paróquias; em (alguns) casos que se percebe que o catequizando não está preparado neste tempo, é conversado e o tempo deste se prolonga um pouco. A questão da IDADE gerou uma certa polêmica e angústia, tanto em torno da idade mínima para se iniciar a catequese, quanto à idade mínima para se receber os sacramentos; mas o padre esclareceu que, na prática, essa definição é feita de acordo com a realidade local, junto ao pároco; também há dificuldade em conciliar a idade mínima para entrar na catequese crismal (11 anos) com a idade em que se recebe o sacramento da eucaristia, a sugestão é que essa idade seja reduzida.  Em relação à INTERAÇÃO ENTRE FAMÍLIA E CATEQUESE apresenta algumas dificuldades; estão sendo feito ao menos alguns eventos da catequese juntando as famílias e algumas paróquias também tem Pastoral da Criança, Pastoral Familiar e encontro nas casas; mas, em relação às visitas, nem sempre há abertura da família. A CATEQUESE JUNTO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA é uma questão delicada; raramente as pessoas procuram as comunidades; os catequistas que recebem pessoas nessas condições fazem o seu melhor, mas falta formação (não existe formação sistemática e ajuda profissional); não há adequação do espaços (acessibilidade); no caso da deficiência auditiva, pode-se contar com a Pastoral dos surdos para interpretar em algumas missas e datas especiais, caso a pessoa já saiba LIBRAS; enfim, as pessoas não estão preparadas para lidar com essa situação. O assunto seguinte foi o CALENDÁRIO 2018: iniciaremos com o RETIRO DIOCESANO no dia 27/01/2018, como de costume, com taxa de R$20 e inscrições pela internet a partir da próxima semana (conforme link que será divulgado no blog www.abcdiocesedemogi.blogspot.com.br), com apenas 200 vagas, preferencialmente para coordenadores de catequese (paroquiais e de comunidade); as reuniões mensais continuarão no 3º Sábado às 9h, no mesmo local (salão da casa das irmãs); o DIA DO CATEQUISTA será comemorado em 25/08/2018, com missa às 19h30 na catedral, com o bispo diocesano; a JORNADA DIOCESANA está marcada em cada cidade, por isso está escrita à mão, de acordo com a Paróquia e a cidade; além disso, foi distribuído o calendário litúrgico de 2018 a todos os presentes. Em seguida, realizamos um AMIGO-CHOCOLATE simbólico, com a entrega de um bombom, como forma de acolhida e partilha. Também cantamos parabéns para a Maria Elisabeth, da catequese diocesana, que fez aniversário nesta semana. Para finalizar, Sonia agradeceu a presença, o empenho e o companheirismo de todos na catequese neste ano de 2017. Padre José Eduardo reiterou os agradecimentos e deu a bênção final.*


* Em tempo: PROGRAMAÇÃO DE TEMAS PARA 2018:
Janeiro a Julho (Retiro, Reunião e Jornada de formação nas cidades) Doc 107, Iniciação à vida cristã
Julho (para todos os interessados): 2º Encontro sobre a Catequese junto à pessoa com deficiência
Agosto: Vocações
Setembro: Bíblia
Outubro: Missões
Novembro: Céu, inferno e purgatório

Anexo 1 - PARÓQUIAS PRESENTES
MOGI: 1. Mãe do Divino Amor, 2. N. Sra. Rosário (região Catedral), 3. N. Sra. Guadalupe – Jd Rodeio, 4. Santa Cruz – Ponte Grande, (região César de Souza), 5. Imaculado Coração de Maria, 6. N. Sra. Fátima – V. Jundiaí, 7. N. Sra. Graças (QP), 8. Santa Cruz – Taiaçupeba, 9. S. Maximiliano Kolbe (região Braz Cubas)
Outras Cidades: 10. Bom Jesus (ARUJÁ), 11. Santa Luzia, 12. São Benedito (BIRITIBA MIRIM), 13. N. Sra. Fátima, 14. N. Sra. Paz, 15. S. Antonio de Pádua (FERRAZ), 16. N. Sra. D'Ajuda – Centro, 17. N. Sra. Carmo - Jd. Marengo (ITAQUAQUECETUBA), 18. N. Sra. Fátima - Calmon Viana, 19. N. Sra. Lourdes – Poá, 20. S. Rosa de Lima – Kemel (POÁ), 21. N. Sra. Remédios, 22. S. José (SALESÓPOLIS), 23. S. Isabel (S. ISABEL), 24. Bom Pastor, 25. Divino Espírito Santo, 26. N. Sra. Lourdes – Jd Colorado, 27. S. Helena, 28. S. Sebastião (SUZANO).

Anexo 2 - Cântico: O PROFETA
- Antes que te formasses dentro do ventre de tua mãe * Antes que tu nascesses, te conhecia, te consagrei * Para ser Meu profeta entre as nações Eu te escolhi * Onde te envio irás, o que te mando proclamarás!
Refrão: Tenho que gritar, tenho que arriscar * Ai de mim se não o faço! * Como escapar de Ti, como calar * Se Tua voz arde em meu peito? * Tenho que andar, tenho que lutar * Ai de mim se não o faço! * Como escapar de Ti, como calar * Se Tua voz arde em meu peito?
- Não temas arriscar-te, porque contigo eu estarei * Não temas anunciar-me, por tua boca eu falarei * Hoje te dou meu povo, para arrancar e derrubar * Para edificares, construirás e plantarás!
- Deixa os teus irmãos, deixa teu pai e tua mãe * Deixa enfim teu lar, porque a terra gritando está * Nada tragas contigo, porque a teu lado Eu estarei * É hora de lutar, porque Meu povo sofrendo está!

Anexo 3 – AVALIAÇÃO DA CAMINHADA DA CATEQUESE NAS PARÓQUIAS
a) O tempo para cada etapa tem sido suficiente?
b) A idade com que a criança e o jovem recebem o sacramento é adequada?
c) Qual é a integração que há entre família e catequese?
d) Como está sendo feita a catequese junto à pessoa com deficiência?

Anexo 4 – PARABÉNS
Parabéns pra você, nesta data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida!
Com imensa alegria, suplicamos ao céu, proteção de Maria e as bênçãos de Deus!
Que o Senhor lá do céu, não se esqueça de ti, que no próximo ano, estaremos aqui!

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Assembleia das Igrejas Particulares 2017

A Diocese de Mogi das Cruzes marcou presença na Assembleia das Igrejas Particulares do Regional Sul1. Juventude e Catequese, no coração da Igreja, levando "a alegria do evangelho", neste mês das missões!
A Assembleia das Igrejas do Regional Sul 1 ocorreu entre 20 e 22 de Outubro e reuniu representantes de todas as dioceses do estado de São Paulo. Neste ano, a assembleia abordou o tema do laicato, com base no Documento 105 (“Cristãos leigos e leigas na Igreja e na Sociedade: Sal da terra e luz do mundo”) e da Iniciação à vida cristã, conforme o Documento 107 (“Iniciação à vida cristã: itinerário para formar discípulos missionários”).

Para maiores informações, consulte os endereços abaixo:





http://www.cnbbsul1.org.br/assembleia-das-igrejas-reflete-o-protagonismo-dos-cristaos-leigos-e-leigas-na-vida-da-igreja-e-da-sociedade/

domingo, 19 de novembro de 2017

Reunião Diocesana de OUTUBRO

A reunião de Outubro, começou com o evangelho de domingo (Mateus 22,15-21) e a oração com dinâmica. Foi tratado o tema dos “Tipos de família” pelo Pe. Edinei (Paróquia São Benedito – Biritiba Mirim).



quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Assembleia Diocesana 2017

A ASSEMBLEIA DIOCESANA 2017 foi realizada no auditório da Faculdade Paulo VI, com representantes das paróquias e das pastorais. Aqui trazemos algumas anotações.

O primeiro tema tratado foi “Cristãos leigos e leigas na igreja e na sociedade”, com o Professor Gláucio Souza. Somos chamados para ser “sal na terra e luz do mundo” (cf Mateus 5,13-14), pois recebemos a “vocação ao laicato” (nr. 2), diante da “realidade eclesial, social e pastoral” (nr. 3) em que vivemos. Afinal, o campo de atuação do leigo é o mundo. E como é o mundo hoje? Há a globalização da indiferença. “É preciso dizer NÃO a essas estruturas” (Evangelii gaudium): irradie a presença do Senhor! Pois Ele está no meio de nós!!! Ainda assim, temos também recuos da época atual, como por exemplo: o excesso de clericalismo, o tradicionalismo e o amadorismo.
O Capítulo 2 aborda o “Sujeito eclesial”. Nos recorda que a vocação nos chama a levar um outro poço para a humanidade. Um poço em que jorra a vida! (O Reino de Deus é uma alternativa de vida para aqueles que não tem vida. E a Igreja é o povo de Deus.). Somos chamados a ser “ícone da Trindade” (cf. 172), sinal de Deus, sair em missão. Ou seja, o sujeito da evangelização é todo o povo de Deus (cf. 101). É a nossa diversidade que enriquece a vida, cada um realizando o seu ministério. Já não transparece o nosso rosto, mas o rosto de Cristo. Ser sujeito eclesial é ser maduro na fé, porque Fé é a resposta que eu dou para o projeto de Deus pra minha vida, o serviço cristão ao mundo (cf. 62, 91).
O Capítulo 3 aborda a Igreja, como chave de missão. Missão é estar a serviço do Reino, em diálogo com o mundo e com as coisas do mundo. E a atuação pastoral precisa refletir essa realidade: ser missionária e não apenas de conservação (cf. EG21). Nesse sentido, é fundamental cuidar da formação dos leigos e leigas. Afinal, ser cristão é algo que se constrói (cf. 225-230), um amadurecimento da consciência, um caminho longo, que requer itinerários diversificados (cf. DAp 281). Tudo isso faz com que a pastoral seja Mistagógica, articuladora, dialogada, especifica e atualizada, conhecendo a realidade conforme a Doutrina Social da Igreja. Indicativo: Ano do Laicato: presença cristã na realidade, a partir da dinâmica amorosa de Deus.

Após o café, Dom Pedro Luiz abordou o tema da “Iniciação à vida cristã”, assunto do novo documento da CNBB, fruto da última Assembleia da CNBB (Estudos da CNBB Documento 107). É um tema importante que envolve a evangelização como um todo, não apenas na catequese, mas em todas as pastorais e movimentos, não apenas dentro da Igreja, mas, sobretudo, no mundo. E é por isso que se tornou uma urgência da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, nos recordando que a Igreja é “casa da iniciação à vida cristã” (DGAE 2011-2015 e DGAE 2015-2019).

Pe. José Eduardo, da Comissão Diocesana para Animação Bíblico-Catequética, expôs a importância da evangelizar as famílias, conhecê-las e assim compreender e orientar melhor o catequizando. Aliando a isso, a Entrega de Símbolos da Fé (como o Pai-nosso, a cruz, o Creio) e outros Ritos do Itinerário Catecumenal nas missas, a comunidade também é envolvida e evangelizada. Por isso é que nas mais de 50 atividades realizadas por esta Comissão e nas formações mensais, procuramos levar essas duas motivações, essas duas ideias, linhas da atuação da catequese: as famílias (missão) e a comunidade de fé (que se reúne na missa e nas ações da Igreja)

Referencias Bibliográficas:
CNBB,  Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora no Brasil 2015-2019 - Documento 102. Edições CNBB: Brasilia, 2015.
_____,  Cristãos leigos e leigas na igreja e na sociedade - Documento 105. Edições CNBB: Brasilia, 2016
_____,  Iniciação à vida cristã. Estudos da CNBB - Documento 107. Edições CNBB: Brasilia, 2017

sábado, 21 de outubro de 2017

Reunião diocesana de SETEMBRO

Anotações da reunião de Setembro: Iniciamos a reunião com o canto Primeira cristã. Em seguida, Pe. José Eduardo proclamou a Palavra e conduziu a Oração inicial. Na reflexão, percebemos que a missão não é fazer coisas, é dizer que Cristo ressuscitou! A catequese não pode ser fechada nos conteúdos da fé, pois hoje podemos fazer mais do que Jesus, como Ele mesmo que profetizou. Então, cabe a nós colocar Jesus Cristo no coração das pessoas, para fazer uma Igreja viva, missionaria, portanto evangelizadora. E nesse mesmo sentido da missão, Rossana e Rosildo trouxeram um pouco da mensagem da Assembleia de Catequese do Regional Sul I da CNBB, que reuniu representantes de catequese das dioceses de todo o estado de São Paulo.

Mais tarde, posto os Anexos
Anexo I. Lista de Presenças

Anexo II. Materiais referentes à Assembleia do Sul1


DIA DO CATEQUISTA 2017

Celebramos o Dia do Catequista 2017 aqui na diocese no dia 26/08. Tudo começou com a concentração no Largo do Rosário. Lá iniciamos nosso momento de oração, "Como tudo continuou com Maria de Nazaré", em cinco estações. Rezando e cantando, fizemos o caminho inverso no tempo, começamos por Pentecostes, Paixão, Bodas de Caná, Nascimento, chegando até a Anunciação. Partimos da missão (da Igreja) para compreender o anúncio da Palavra de Deus para cada um de nós. Na procissão e na missa, tivemos a presença de quatro catequistas que tiveram o cuidado de caracterizar-se como Nossa Senhora de Lourdes (Poá), Nossa Senhora das Graças (Suzano), Nossa Senhora de Fátima (Ferraz) e Nossa Senhora Aparecida (Salesópolis), homenageando a nossa Mãe, nas suas diversas aparições. Nesse clima de oração chegamos à Igreja, onde participamos da Santa Missa, presidida pelo Pe. José Eduardo Ferreira.



sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Reunião diocesana de AGOSTO

No dia 19/08/2017, realizamos a reunião diocesana com confraternização, na casa das Irmãs Catequistas do Sagrado Coração, no Bairro do Socorro, em Mogi das Cruzes.
Iniciamos com o canto "Maria de Nazaré". Pe. José Eduardo proclamou o evangelho deste domingo da Assunção de Maria (Lucas 1,39-56) e destacou a importância de um momento de confraternização, diálogo e partilha, para que não fiquemos apenas envolvidos em nossos trabalhos e para não esquecermos que a razão de tudo o que fazemos, o amor de Deus. Rosildo propôs como dinâmica, um kit missionário, a partir do fato de que Maria saiu em missão. Além da Bíblia (Palavra de Deus escrita para nós), o pão (a Palavra também é pão, porque partilhada e consumida por nós) e o sapo (ou o anúncio da Palavra de Deus é feito só de rosas? São muitos os "sapos" que temos que engolir, não é mesmo?). Enfim, a Missão é ir ao encontro daquele que precisa. Quem hoje precisa de nossa ajuda? Como agimos diante deste irmão? 
Em seguida, Pe. José Eduardo explicou que, em preparação a uma Assembleia Diocesana de Catequese, iniciaremos com um Questionário para ser respondido por Paróquia, para fazer um Diagnóstico da Situação Atual da Catequese nas Paróquias de nossa Diocese (Mogi das Cruzes). Conhecer a situação do paciente, para poder tratá-lo adequadamente. Rossana explicou trouxe algumas cópias impressas do questionário, mas também será enviado aos coordenadores paroquiais por whatsapp, na página do face (Animação Bíblico-Catequetica - Mogi das Cruzes), conforme o cadastro que temos. A resposta também pode ser por whatsapp, facebook, e-mail ou manuscrita (até a próxima reunião). Sonia deu os avisos. 
. DIA DO CATEQUISTA 26/08/2017: Às 18h Concentração no Largo do Rosário e missa às 19h (posteriormente corrigido para 19h30)
. Formação para a Catequese junto à Pessoa com deficiência 02/09/2017 (8h às 12h). 
. Formação CATEVIDA 22, 23 e 24/9 (com dinâmicas para a catequese), na Paróquia N. Sra. Lourdes.
O padre deu a bênção e fizemos o Bingo de confraternização dos catequistas.
Anexo 1 - PARÓQUIAS PRESENTES
MOGI: 1. Mãe do Divino Amor (região Catedral), 2. N. Sra. Guadalupe, Santa Cruz - Ponte Grande, 3. São Pedro Apóstolo (região César de Souza), 4. N. Sra. Fátima - V. Jundiaí, 5. S. José Operário - Jundiapeba, 6. S. Maximiliano Kolbe (região Braz Cubas)
Outras Cidades: 7. N. Sra. Aparecida (ARUJÁ), 8. N. Sra. Paz, 9. S. Antonio de Pádua (FERRAZ), 10. Jesus Divino Mestre, 11. N. Sra. D'Ajuda -  Centro, 12. N. Sra. Carmo - Jd. Marengo (ITAQUAQUECETUBA), 13. N. Sra. Fátima - Calmon Viana, 14. N. Sra. Lourdes - Poá, S. Rosa de Lima (POÁ), 15. N. Sra. Remédios, 16. S. José (SALESÓPOLIS), 17. N. Sra. Aparecida - Barreto, 18. S. Isabel (S. ISABEL), 19. Divino Espírito Santo, 20. N. Sra. Mãe do Redentor, 21. S. Helena, S. Sebastião (SUZANO).


Anexo 2 - DIAGNÓSTICO: QUESTÕES PRÉ-ASSEMBLEIA
Preparamos algumas questoes para conhecer a realidade da catequese nas nossas paróquias (fazer um diagnóstico, saber qual a doença, receitar o remédio certo rsrs). Pedimos que vcs respondam até a reuniao de Setembro (16/9), por escrito (papel, e-mail ou face inbox pra mim) catequese-nspaz@bol.com.br
DIAGNÓSTICO DA CATEQUESE. Conhecendo a realidade da sua paróquia, responda:
1- Qual o tempo de catequese na sua paroquia? (anos e meses)
2- Quais os tipos de catequese na paroquia?
3- A Catequese na sua paroquia tem alguma integração com o Batismo?
4- Há catequese familiar na paróquia?
5- Quais os materiais utilizados na catequese?
6- Como está sendo feita a catequese junto a pessoa com deficiência?
7- Tem Primeira Comunhão e Crisma todo ano?
8- Como é feita a Formação e escolha de catequistas na paróquia?
9- Qual a idade de cada etapa?
10-Observações (considerações que você achar importante)
OBSERVAÇÃO: De preferência, responder direto pelo link (criado posteriormente) https://docs.google.com/forms/d/1FuyKqCUIoiUIdXQinrUpVZonAE5_3t58wxBlJalOS8I/edit#response=undefined ou pelo atalho https://goo.gl/forms/zt36RrIY4TO3Xn1 

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Reunião diocesana de JUNHO

REUNIÃO DIOCESANA EM 24/06/2017. Pauta: 1) Oração inicial com dinâmica; 2) Tema: “Psicologia das Idades”; 3) Entrega das dinâmicas (por escrito); 4) Avisos e outros.
Iniciamos a reunião com o evangelho (Mateus 9,36-10,8). Rosildo propôs uma reflexão sobre o texto bíblico, apresentando alguns objetos, representando os discípulos de Jesus: bule, ilha (ou guarda-chuva), carnê do IPTU, vela apagada, moedas, espelho, correspondendo, respectivamente, a Pedro, João, Mateus, Tomé, Judas, você. Deus escolhe o pecador e transforma a sua vida: “Com Jesus, as pessoas tem jeito!”
Em seguida, Pe. José Eduardo apresentou o Pe. Edinei (da Paróquia São Benedito – Biritiba Mirim), que foi convidado para falar para nós sobre a Psicologia das Idades. Pe. Edinei começou abordando a Psicologia de maneira geral, a partir do cérebro humano (ver Anexo 2), até chegar à Psicologia das Idades, abordando características de cada etapa do desenvolvimento humano. Depois desse tema, Rossana entregou uma folha com dinâmicas selecionadas pela equipe diocesana e baseadas nos evangelhos dos próximos domingos (Anexo 3). Para finalizar, Sonia deu os avisos: a) Formação para a catequese junto à pessoa com deficiência dia 08/07/2017, das 8h às 12h, no Centro Pastoral São José - Belenzinho; b) Missa do Dia do Catequista dia 26/08/2017, concentração às 18h no Largo do Rosário, com procissão até a Catedral Diocesana, onde teremos a Santa Missa; c) Formação diocesana hoje (24/06/2017) em Suzano, Paróquia Santa Helena - Parque Maria Helena. Os padres deram a bênção aos presentes e fizemos o lanchinho comunitário.
Anexo 1 - PARÓQUIAS PRESENTES:

Anexo IIPSICOLOGIA DAS IDADES (material trazido pelo Pe. Edinei Maia, psicopedagogo)


Primeira Parte: ESTUDOS DA PSICOLOGIA







Parte 2. FASES DO DESENVOLVIMENTO HUMANO
PRIMEIRA FASE: 01 aos 03 ANOS
è A descoberta do mundo exterior;
è O meio humano: família

SEGUNDA FASE: 04 aos 07 ANOS
è O globalismo;
è O egocentrismo;
è Acontece a primeira “crise”;

SEGUNDA INFÂNCIA (7 a 10 anos)
è Constitui-se uma fase ampla e significativa tanto para sua vida pessoal, como para a vida escolar e catequética;
è crescimento físico diminui;
è criança passa a pensar com mais lógica, mas ainda possui uma inteligência concreta.
è Além disso, gosta de ler, de aprender coisas novas.
è Nesta idade prefere ficar em grupos do mesmo sexo.
è criança é mais instável emocionalmente.
è Na religiosidade, a criança desta idade precisa de uma catequese que use símbolos. Necessita de um Deus amigo:
è criança deve ser iniciada na participação da comunidade.
è memorização de frases importantes, dos mandamentos

ADOLESCÊNCIA (14 a 17 anos)
è É uma fase de transição de modelos
è Acontecem profundas mudanças físicas.
è busca da identidade torna-se fundamental.
è busca de novos grupos sociais, a identificação com determinadas tribos
è Entender o adolescente é perceber as suas roupas como parte do corpo
è Percebem-se atitudes egocêntricas e a construção de uma moralidade própria
è Gostam de grupos heterogêneos, gostam de praia, festas, bailes...
è Possuem capacidade de pensar abstratamente, o pensamento lógico se desenvolve.
è São inconstantes emocionalmente
è Os adolescentes precisam ser confrontados com firmeza
è Também, tenha-se em destaque a questão vocacional.
è adolescente não vai ser convencido pela autoridade.

Anexo III. DINÂMICAS PARA A CATEQUESE SEGUNDO A LITURGIA

18/6. 11º DOMINGO DO TEMPO COMUM. Mateus 9,36-10,8
Observe as figuras (podem ser levados objetos correspondentes, para ajudar na reflexão). Cada figura corresponde a um discípulo citado. Quais são?

Respostas:
PEDRO: tinha pouca fé, se desesperava fácil;
MATEUS: cobrador de impostos;
JOÃO: egoísta, se achava “o melhor”;
TOMÉ: não tinha fé, questionava tudo;
JUDAS: vendeu-se por 30 moedas;
VOCÊ: precisa ver melhor as coisas.

Reflexão:
Jesus vendo que a multidão estava como ovelha sem pastor, escolhe 12 para ajuda-lo, um pior que o outro. Às vezes pensamos que não somos capazes de encarrar a missão, pois somos muito falhos. (Mas Deus é muito maior do que tudo isso!). Mesmo com toda limitação, todos assumem a missão sem medo! Após o Pentecostes, doaram sua vida!

(Dinâmica elaborada por José Rosildo Santos para Mt 9,36-10,8)

25/6. 12º DOMINGO DO TEMPO COMUM. Mateus 10,26-33
MENSAGEM PRINCIPAL
Deus quis precisar do ser humano, quis ter um povo para si, um povo santo, para santificar o mundo todo em seu nome, um povo que fizesse sua vontade e realizasse seu reino. Para isso Ele deixa bem claro que não precisamos ter medo, porque a missão se baseia na verdade, Ele está conosco. A segurança dos discípulos está na promessa: quem é fiel a Jesus, terá Jesus a Seu favor diante de Deus.

Dinâmica: NAO TENHO MEDO
Material: Balões coloridos, papéis, caneta.
Preparo: Escrever frases incompletas nos papéis e colocá-Ios dentro dos balões.
Desenvolvimento: Cada participante receberá um balão. Ao som de uma música deverão encher sem estourar. De acordo com o ritmo da música, deverão fazer movimentos com o corpo, utilizando os balões. Quando a música parar, deverão estourar os balões e pegar a frase que estava dentro. Voltando para o circulo, cada um deverá ler a sua frase completando-a... (falando de emoções).
Exemplos de Frases: Gosto muito de.../ Tenho medo de.../ A emoção que tenho maior dificuldade de controlar é.../ Diante de uma dificuldade, eu.../ Se eu pudesse mudar algo na minha vida seria...
Conclusão: temos muitos medos nas nossas vidas, inclusive medo de falar de Deus. Mas confiemos na verdade que Jesus nos falou: Não tenham medo! Eu estou com vocês. Fazer uma oração espontânea, dispor uma musica (sugestão: Confia em mim - Vida Reluz), e entregar uma lembrancinha.
Lembrancinha: pode ser uma caneta ou lápis, com uma mensagem: Não tenha medo ou Deus está contigo, ou da criatividade do catequista. A lembrancinha serve para uma memorização do que deve ficar mais forte da mensagem, algo que leva para casa é sempre marcante!

(Dinâmica selecionada pela Irmã Daiane Santos, mcsc)

02/7. SOLENIDADE DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO (Vermelho). Mateus 13,24-43
Tema: QUEM É JESUS?
Parece uma pergunta simples... mas não é!
Os primeiros cristãos fizeram muitas vezes essa pergunta. A cada vez que a faziam, descobriam, maravilhados, que Jesus é um mistério! Nunca damos conta de saber tudo dele. Jesus é um mistério de amor, oferecido a nós por Deus Pai para nossa salvação.
Os nomes ou títulos bíblicos de Jesus são uma tentativa de resposta a essa questão. Eles são como setas que apontam para Jesus. Através deles, dizemos o que pensamos de Jesus e de que forma o seguimos hoje.

Atividade: NOMES E TÍTULOS DE JESUS
CONVERSANDO E RESPONDENDO:
· Quais os títulos que chamam mais a atenção do grupo? Escolher dois títulos que o grupo considere mais fortes e profundos. Para cada um, escolher um símbolo que o represente. Ex. se o título escolhido for "Luz do mundo”: o símbolo pode ser uma vela acesa numa sala escura.
· Fazer uma lista de 3 títulos que o grupo ainda não conhecia.

Sobre cada um desses títulos, discutir:
·  O que eles dizem sobre a pessoa de Jesus?
·   E sobre nós, cristãos?
·   Quais esperanças anunciam?
·    Que mudanças propõem?

ORAÇÃO FINAL
·     Escrever os títulos escolhidos em fai­xas e cartazes.
·  Colocá-los em lugar visível, junto aos símbolos. Deixar um tempo para a oração individual, silenciosa.
·  Cada participante diz brevemente o que ficou de mais importante, nessa segunda fase dá formação interativa, no estudo dos ECOando nº 13 a 24.
·   Escolher um canto que resuma a men­sagem central da vida, morte e res­surreição de Jesus de Nazaré.

(Dinâmica colhida por Rossana referente ao jornal Ecoando nr. 24)

09/7. 14º DOMINGO DO TEMPO COMUM. Mateus 11,25-30

DINÂMICA DO FARDO

Tempo: 5 minutos.

Material: Sacos de feijão, açúcar ou qualquer outra coisa que seja pesado. Pode-se encapar os sacos com papel/sacola de sua escolha.  

Desenvolvimento: Peça a um   catequizando  voluntário para participar da dinâmica (uma pessoa magra ou fraca seria o ideal). Avise a ele, e para todos os demais  catequizandos  ouvir, que se não aguentar os fardos, pode falar. Com ele do seu lado, peça para estender os braços, entregue apenas um (fardo), e durante toda a ministração você vai e coloca vários fardos na mão do voluntário, se cair no chão pegue novamente e entregue para voluntário, até que ele não consiga mais segurar os fardos, ou peça para parar. Caso, até o final ele continuar firme, tire os fardo dele e veja qual será atitude e expressão dele.

Moral: Assim, é como o inimigo faz com agente, cada vez que agradamos a ele, ganhamos fardos, um atrás do outro. Elevar pesos causa dor, desanimo, trauma, lesões. Deixe hoje, Deus tirar seus fardos.

(Mateus 11,30) "Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo e leve".

(Dinâmica selecionada por Maria Elizabeth Pereira)



16/7. 15º DOMINGO DO TEMPO COMUM. Mateus 13. Parábola do semeador

“Um semeador saiu a semear” (Mt 13,3).
Todo catequista é semeador da Palavra de Deus. É missão nossa semear, indiferente do terreno ou das condições climáticas. Não podemos dizer que o sol está quente demais, ou se está chovendo muito, ou que a semente não é boa. Temos que semear! Ler a “Parábola do semeador”; dividir a parábola em versículos; escreve-los em papeis; colocar dentro de balões coloridos; enchê-los; decorar o  ambiente com os mesmos. Escolher duas cores de balões: uma para a primeira parte da parábola, outra para a explicação. (Observação: a quantidade de balões deve ser igual ao número de participantes).
Leia a parábola do semeador para as crianças sem ler a explicação; depois, questione-os: a) Quem é o semeador? b) O que é a semente? c) O que representa os terrenos? (Colocar em destaque os tipos de terrenos citados). d) O que representa a colheita? Depois das respostas, contar a explicação da parábola.
Após a leitura repetir as perguntas e pedir que os catequizandos expliquem com suas palavras.
Entregar os balões a cada participante e pedir que as crianças brinquem com os balões, trocando de uma para outra criança sem deixa-los cair. Cada um que deixar cair deve pegar seu balão e aguardar o final da brincadeira. No final da brincadeira explicar que cada balão contem um versículo e que devem estourar os balões, retirar os versículos e montar a parábola como um quebra-cabeça.
Encenar com as crianças a parábola do bom semeador. 

(Dinâmica selecionada por Claudia Moreira e Thiago Oliveira)