quarta-feira, 22 de março de 2017

Reunião diocesana de Março

ANOTAÇÕES DA REUNIÃO DIOCESANA DE 18/03/2017. Iniciamos a reunião com a reflexão partilhada do evangelho (Rosildo). Fizemos a dinâmica da cruz, fazendo juntos um cruz recortada (à mão) no papel. Depois de feitas as cruzes, nós comparamos e percebemos que elas são todas diferentes, de acordo com as características de cada um, mas que cada um de nós tem a sua. Então, passamos ao primeiro assunto da pauta, a INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ, assistindo um vídeo “Iniciação à Vida Cristã – Catequese estilo Catecumenal” (Paulinas, com o Pe. Antonio Lelo). O vídeo aborda, de maneira simples e direta, aspectos gerais da catequese de inspiração catecumenal, em suas quatro etapas: Pré-catecumenato, Catecumenato, Purificação (e Iluminação) e Mistagogia (após receber o sacramento). Rossana explicou que a catequese é CRISTOCÊNTRICA, ou seja, é o caminho para levar para Jesus Cristo e fazer a vontade do Pai. Mas será que a nossa catequese está mesmo sendo assim? Ou estamos fazendo nossa própria vontade? Nos dias de hoje, em que as crianças/jovens/adultos chegam à catequese vindos de ambientes não cristãos, muitas vezes sem saber persignar-se (Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo), a fazer o sinal-da-cruz, ou mesmo orações simples, como “Santo Anjo”, “Ave Maria” e “Pai Nosso”. Por isso, a Igreja propõe a “inspiração catecumenal”, que nos remete às origens do cristianismo. O caminho para a Igreja propor o retorno à “inspiração catecumenal” não é recente. O Concílio Vaticano II (1962-1965) trouxe a abertura da igreja à participação mais efetiva dos leigos e a catequese acompanha esse movimento: Diretório Geral da Catequese, Catecismo da Igreja Católica (1971), Documento de Aparecida (2007) e Youcat (2015), em nível internacional; e Catequese renovada (1983), Diretório Nacional de Catequese (2006), 3ª Semana Brasileira de Catequese (2009), em nível nacional. Recordamos que a “inspiração catecumenal” não é uma metodologia pronta, mas construída na prática, introduzindo os aspectos da catequese catecumenal que sejam adequados e que façam sentido à realidade em que estamos. É nesse sentido que vamos trazer um desses aspectos, a utilização dos SÍMBOLOS que marcam a caminhada cristã. Escolhemos começar pela simbologia da CRUZ, sinal de morte e ressurreição à luz da fé, fazendo uma breve catequese sobre a cruz e a entrega solene da cruz. Rosildo detalhou um pouco mais as fases do itinerário catecumenal, com exemplos práticos. O PRÉ- CATECUMENATO é o tempo do primeiro contato com os catequizandos e as famílias; tempo das inscrições, das primeiras visitas as famílias, documentação; tempo da Apresentação para a comunidade, tempo de apresentar a Bíblia e ensinar as principais orações. Podemos fazer a inscrição de forma missionária, indo ao encontro das pessoas nos espaços em que se encontram (por exemplo, escolas, etc.) As pessoas precisam ser motivadas a conhecer Jesus Cristo e vir à Igreja, participar da comunidade. O CATECUMENATO é o período da catequese propriamente dita, com os conteúdos próprios do tempo litúrgico, ligados à realidade do catequizando. O CATECUMENATO é a fase da catequese propriamente dita. A ILUMINAÇÃO são encontros que precedem o recebimento dos sacramentos, preparação próxima, celebrações e ritos de entrega. E a MISTAGOGIA são os encontros após os sacramentos, pois a catequese continua por um tempo, para integrar o catequizando à comunidade. Não somos catequistas de 1ª Comunhão ou de Crisma ou de Adultos. Somos catequistas! E a catequese não termina com o recebimento dos sacramentos! Ou continuaremos a fazer uma catequese sacramental, que leva ao sacramento, mas não ao seguimento de Jesus Cristo. O padre comentou que a abordagem foi bastante esclarecedora e propôs que se adotasse nas paróquias o rito das entregas de símbolos, que muito tem muito a acrescentar em significado e em conteúdo de fé, em qualquer metodologia que adotemos. Rosildo fez então a catequese sobre a cruz, a partir da reflexão do texto “Loucura da cruz”, tratando o sofrimento (a dor) como nosso companheiro inseparável. “Como encaramos o sofrimento?” (respondemos individualmente a essa pergunta e alguns partilharam sua resposta, inclusive o padre). Muitos de nós não encara bem o sofrimento, não gosta, se rebela. Mas, com fé e esperança, encara o desafio, procura um caminho, uma solução e, com Cristo, aprende a superá-lo! Com as palavras do texto: “O sofrimento pode ser um grande amigo ou um terrível inimigo, depende de como o encaramos.” E é em nossa humanidade que enfrentamos essa realidade, de uma maneira surpreendente: “Sofro porque dói, sorrio porque te amo!” (do texto). Encerrada a catequese da cruz, a Beth propôs uma rápida avaliação (regular, bom, ótimo) da reunião e sugestões, para isso entregou um papelzinho a cada um. Em seguida, o padre fez o “Rito da entrega da cruz” com assinalação dos sentidos (também entregue a cada um dos presentes) e deu a benção final, seguida do lanchinho. Lembrete: No próximo sábado 25/03/2017 às 8h na Catedral, haverá a Jornada Diocesana de Formação para Catequistas das regiões Catedral e César de Souza e demais interessados.

ANEXO I – PARÓQUIAS PRESENTES: 1. N. Sra. Aparecida, 2. Senhor Bom Jesus (ARUJÁ), 3. S. Benedito (BIRITIBA MIRIM), 4. N. Sra. Aparecida, 5. N. Sra. Paz, 6. S. Antonio de Pádua (FERRAZ), 7. Jesus Divino Mestre, 8. N. Sra. D’Ajuda, 6. N. Sra. Graças, 10. S. Apóstolos (ITAQUAQUECETUBA), 11. N. Sra. Carmo, 12. N. Sra. Rosário, 13. S. Rita Cássia, 14. S. Benedito, 15. S. José Operário-Mogilar, 16. Santuário Mae do Divino Amor (MOGI, região Catedral), 17. Imaculado Coração de Maria, 18. N. Sra. Aparecida e São Roque, 19. N. Sra. Fátima, 20. N. Sra. Paz-Mirante, 21. Santa Cruz-Taiaçupeba, 22. S. Maximiliano Kolbe, 23. S. José Operário-Jundiapeba, 24. S. Sebastião, 25. AP São Pedro, 26. QP Santa Luzia (MOGI, região Braz Cubas), 27. Santa Cruz (Ponte Grande, região César de Souza), 28. S. Rosa de Lima (Poá), 29. N. Sra. Remédios, 30. São José (Salesópolis), 31. Santa Isabel (Santa Isabel), 32. Bom Pastor, 33. Divino Espírito Santo, 34. S. Helena, 35. São Sebastião (Suzano).

ANEXO II – HISTÓRICO DA INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
vídeo "Iniciação à Vida Cristã - Catequese estilo Catecumenal" (Paulus)

MOVIMENTO PÓS-CONCILIAR
      Diretório Catequético Geral (DCG, 1971)
      Ritual de Iniciação Cristã de Adultos (RICA, 1973)
      Catecismo da Igreja Católica (CIC 1997)
      Diretório Geral para a Catequese (DGC, 1997)
      Documento de Aparecida (DAp 2007)
      Youcat (2011)

NO BRASIL
      Catequese Renovada (1983): INTERAÇÃO FÉ E VIDA
      Diretório Nacional de Catequese (2006): UMA CATEQUESE LITÚRGICA, BÍBLICA, VIVENCIAL, MÍSTICA EVANGÉLICO-MISSIONÁRIA, MAIS PARTICIPATIVA E COMUNITÁRIA
      3ª Semana Brasileira de Catequese (2009): CATEQUESE, CAMINHO PARA O DISCIPULADO E MISSÃO
      Simpósio Nacional de Catequese: ITINERÁRIO (2014)

É UMA DAS 5 URGÊNCIAS da Ação Evangelizadora (DGAE 2011-2015 e 2015-2019)
1)    Igreja em estado de permanente missão
2)    Igreja, casa de Iniciação à Vida Cristã
3)    Igreja, lugar de animação bíblica da vida e da pastoral
4)    Igreja, comunidade de comunidades
5)    Igreja a serviço da vida plena para todos.

PARTIR DE CRISTO
      Toda ação eclesial brota de Jesus Cristo e se volta para Ele e para o Reino do Pai. (04)
      Conversão pastoral e pessoal (04)
      É contínuo o convite aos discípulos missionários e, a partir deles, a toda a humanidade para segui-lo, em meio a diferenças e desencontros. (07)
(Trechos das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora no Brasil, DGAE 2011-2015)

ITINERÁRIO CATEQUÉTICO
1ª Etapa. Pré- catecumenato, 2ª Etapa. Catecumenato, 3ª Etapa. Purificação e Iluminação, 4ª Etapa. Mistagogia

PRÉ-CATECUMENATO
      Primeiro contato com os catequizandos  e as famílias.
      Inscrições, documentação.
      Primeiras visitas às famílias.
      Apresentar os catequizandos na Igreja.
      Apresentar a Bíblia.
      Ensinar as principais orações.

CATECUMENATO
      Começa junto com o Ano Litúrgico, com uma celebração chamada Admissão.
      É a etapa do aprofundamento da fé, da conversão, da participação na comunidade.
      À medida que vão sendo trabalhado os candidatos, os vários elementos do mistério da vida, da liturgia e da oração cristã. Por isso, é o período mais longo de todo processo de iniciação.

PURIFICAÇÃO E ILUMINAÇÃO
      Começa com o Rito da eleição ou Inscrição dos nomes dos catecúmenos no primeiro domingo da Quaresma.
      Culmina com a Celebração do Batismo, da Confirmação e da Eucaristia, na Vigília Pascal.
      É um período de aprofundamento espiritual em preparação ao Tríduo Pascal.

MISTAGOGIA
      Introdução ou condução ao mistério, antes era a apresentação do mistério.
      Inicia os catecúmenos a participarem na vida da comunidade
      Catequese específica = Início da catequese permanente
      Participação na eucaristia dominical.

      Último tempo de iniciação.

ANEXO III – CATEQUESE DA CRUZ
III.1. Texto “A loucura da cruz”, III.2. “Celebração para entrega da cruz” e III.3. (Extra:) "Bênção da cruz"
BÊNÇÃO DA CRUZ
(Dirigente:) Senhor, Pai santo, que fizestes da cruz do vosso Filho a fonte de todas as bênçãos e a origem de todas as graças, dignai-Vos abençoar estas cruzes e fazei que todos aqueles que as apresentam aos homens se esforcem por se ir transformando à imagem do vosso Filho. Que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. AMEM.
(Para a entrega:) Recebei a cruz, sinal do amor de Cristo, e da missão a que a Igreja vos destina. AMÉM.
(Do ritual de bênçãos, Bênção dos Missionários. Bênção dos que são enviados a anunciar o evangelho nr. 338 e 340b)
OBSERVAÇÃO: Fica bom incluir um abraço de acolhimento, após a entrega.

ANEXO III – Avaliação e sugestões, Resumo. 
Os representantes consideraram boa a reunião. 

SUGESTÕES:
1. Material de apoio sobre o conteúdo da reunião (por escrito)
2. Detalhamento das etapas do catecumenato
3. Inspiração catecumenal aplicada na prática da catequese. 



Reunião diocesana de Fevereiro

ANOTAÇÕES DA REUNIÃO DIOCESANA DE 18/02/2017. Iniciamos a reunião com a reflexão partilhada do evangelho. O Rosildo fez a dinâmica do padre novo e do padre antigo (com dois bonecos). Nem fazer a vontade do padre novo nem do antigo, mas a vontade de Deus. Em seguida, apresentamos nosso novo padre assessor diocesano da catequese, Pe. José Eduardo Ferreira (Paróquia N. Sra. Paz – Ferraz de Vasconcelos). O padre falou de sua alegria com o convite e suas expectativas. Em seguida, irmã Célia nos apresentou um panorama geral da exortação apostólica “Amoris laetitia” em seus nove capítulos. E a irmã Daiane nos falou sobre a iniciação à vida cristã e a inspiração catecumenal. Como inspiração, não se trata de ser uma reprodução do catecumenato original, exatamente como era feito os primeiros tempos do cristianismo, e SIM de ver o que de bom podemos aproveitar e trazer para HOJE poder nos ajudar na caminhada da fé! Na catequese, um fator importante a se considerar é conhecer a família dos catequizandos, sua realidade religiosa e social. Fizemos também uma partilha em grupo (e plenário), sobre como poderíamos aproximar a família dos encontros de catequese, em 5 diferentes contextos. Em todos os casos, nos grupos foram sugeridas as visitas às famílias dos catequizandos e encontros celebrativos com os pais. Em seguida, o padre disse que quer conhecer melhor a catequese nas paróquias e mostrou abertura ao diálogo, como caminho para conhecer, compreender e ajudar a caminhada da catequese em toda a nossa diocese. Mais do que diretrizes diocesanas (que já existem, por exemplo, o Diretório Nacional da Catequese, Diretório Diocesano dos Sacramentos, etc.), precisamos propor atividades práticas, que sejam diretamente aplicáveis na catequese. É esse o direcionamento que o padre pretende oferecer. Encerramos a reunião com a Oração da Campanha da Fraternidade, a bênção e o lanchinho.


ANEXO I. PARÓQUIAS PRESENTES: 1. N. Sra. Carmo – Centro, 2. N. Sra. Socorro – Socorro, 3. S. José Operário – Mogilar, 4. Santuário – Igreja S. Benedito (MOGI, Região Catedral), 5. Im. Coração Maria – Jd. Universo, 6. N. Sra. Fátima – V. Jundiaí, 7. Santa Cruz – Taiaçupeba, 8. São Sebastião – V. S. Sebastião, 9. São Maximiliano Kolbe – V. Lavínia, 10. QP S. Luzia – V. Rubens, 11. AP S. Pedro Apóstolo – Jd. S. Pedro (MOGI, Região Brás Cubas), 12. Santa Cruz – Ponte Grande, 13. S. Rita de Cássia – Socorro, 14. S. Pedro Apóstolo – César de Souza (MOGI, Região César de Souza), 15. Senhor Bom Jesus – Centro (ARUJÁ), 16. Santa Luzia – Jd. Yoneda, 17. N. Sra. Aparecida – V. Andeyara, 18. N. Sra. Fátima – V. Corrêa, 19. N. Sra. Paz – Centro, 20. S. Antonio de Padua – V. S. Antonio (FERRAZ DE VASCONCELOS), 21. S. Benedito – Centro (GUARAREMA), 22. N. Sra. D' Ajuda, 23. N. Sra. Graças, 24. S. Isabel – Centro (SANTA ISABEL), 25. N. Sra. dos Remédios – Remédios , 26. São José – Centro (SALESÓPOLIS), 27. Bom Pastor – Cidade Edson, Divino Espirito Santo – Taba Marajoara, 28. N. Sra. Mãe do Redentor – V. Amorim, 29. S. Rita de Cássia – Jd. Gardênia Azul, 30. S. Francisco de Assis – Palmeiras, 31. S. Sebastião – Centro (SUZANO).

ANEXO . ORAÇÃO DA CF 2017
Deus, nosso Pai e Senhor, nós vos louvamos e bendizemos, por vossa infinita bondade Criastes o universo com sabedoria e o entregastes em nossas frágeis mãos para que dele cuidemos com carinho e amor. Ajudai-nos a ser responsáveis e zelosos pela Casa Comum Cresça em nosso imenso Brasil o desejo e o empenho de cuidar mais e mais da vida das pessoas e da beleza e riqueza da criação alimentando o sonho do novo céu e da nova terra que prometestes. Amém!

Retiro "Família, berço da catequese"

No dia 29/01/2017 (Domingo), realizamos o retiro de representantes paroquiais de catequese.



Rosildo iniciou com uma reflexão sobre o evangelho do dia (Mateus 5,1-12a), chamando nossa atenção para o significado das Bem-aventuranças HOJE, na nossa vida, a partir de símbolos: coração, terço, sapo, cruz, espelho, vela, Santa Rita, sal, pão.
Em seguida, Dom Paulo nos falou sobre o tema "Família, berço da catequese", fazendo referência à exortação apostólica "Amoris laetitia", e nos orientou como viver o amor na família, nas situações concretas do dia-a-dia.
Depois, Rosildo conduziu outra reflexão, agora em grupos, sobre as bem-aventuranças, de acordo com o símbolo sorteado.
Dom Paulo retornou, fazendo o fechamento do tema das famílias e das bem-aventuranças e presidiu a santa missa.

Foi um maravilhoso dia de reflexão e partilha! 















segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Retiro diocesano de representantes paroquiais de catequese

Será no dia 29 de janeiro de 2017, das 7h30 às 17h. O ponto de encontro será a Paróquia São José Operário, em Jundiapeba, onde nós organizaremos as caronas solidárias. Por isso, pedimos que você indique se poderá dar carona (e quantas vagas) ou precisará de carona.
Para fazer a inscrição, você precisará de um e-mail válido, através do qual iremos nos comunicar. Faça sua inscrição no link:
*IMPORTANTE: A inscrição será confirmada somente após o recebimento do comprovante de depósito da taxa de inscrição.* 
INSCRIÇÕES PRORROGADAS ATÉ 17/01/2017

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Reunião Diocesana de 03/12/2016

No dia três de dezembro de dois mil e dezesseis, realizamos a última reunião diocesana da catequese de 2016. Rosildo iniciou a reunião com uma REFLEXÃO PARTILHADA DA PALAVRA (Tiago 5,13-18), sobre a necessidade de orar sempre e orar uns pelos outros. Cada um recebeu uma caixinha vazia com uma etiqueta, na qual colocamos nosso nome. Então, fizemos um bate-papo em dupla, para conhecer melhor o irmão e propor de ser “Amigo de oração” e rezar pelo outro, com as perguntas: “Você quer que eu seja seu Amigo de oração? Por quê?” Então, recebemos um terço, para ser colocado na caixinha, e entregamos a nosso “Amigo de oração”, para que rezasse por nós e que se lembrasse de nós em suas orações. Passando ao assunto seguinte, Rosildo falou um pouco da CATEQUESE COM ESTILO CATECUMENAL, que tem sido proposta pela Igreja nos encontros do Sul1, a importância de ir ao encontro das famílias, visitar as famílias e conhecer a sua situação sacramental e dar uma catequese para os pais, para melhor atendê-las. Em alguns lugares, se faz uma catequese inicial com os pais, para depois começar os encontros com os catequizandos. A ideia é que a catequese apresente Jesus Cristo aos catequizandos e suas famílias e os ajude a se aprofundar na experiência de fé e de comunidade, acompanhando a vida cotidiana e os tempos da liturgia da Igreja. Em seguida, Sonia apresentou o CALENDÁRIO DIOCESANO DA CATEQUESE PARA O ANO DE 2017, lembrando que nossos primeiros compromissos serão no mês de janeiro: em 21/01/2017 (Sábado) teremos o Encontro sobre a Catequese junto à pessoa com deficiência (para TODOS os catequistas começarem a pensar a inclusão das pessoas com deficiência na catequese e na vida da Igreja) e em 29/01/2017 (Domingo), o Retiro Diocesano (com inscrições até 10 de janeiro). As REUNIÕES serão mantidas no 3º Sábado de cada mês (exceto abril e junho, devido a feriados), datas a saber: 18/2, 18/3, 08/4, 20/5, 24/6, 19/8, 16/9, 21/10 e 18/11. A missa do Dia do Catequista será no dia 26/08/2017 às 19h. Além disso, faremos um evento para a arrecadação de fundos para a catequese: um Bingo da Catequese, previsto para 29/07/2017 com caldo (mas provavelmente será alterada a data e será só com pastel). As JORNADA DIOCESANA DE FORMAÇÃO serão realizadas em cada região diocesana, para os catequistas d aquela região. O tema tratado em todas elas será “Família, berço da catequese”. Rossana passou, então, as datas das Jornadas de Formação para os Catequistas em cada região diocesana: Sábado 04/2 às 8h, em Ferraz (Paróquia Nossa Senhora de Fátima, V. Correia); Sábado 11/2 às 15h, em Guararema (Paróquia N. Sra. Escada e São Benedito); Sábado 04/3 às 8h, na região Braz Cubas (Paróquia São Maximiliano Kolbe, V. Lavínia); Sábado 11/3 às 8h, na região César de Souza (Paróquia São Pedro Apóstolo, Jd. São Pedro); Sábado 25/3, na região Catedral (Catedral de Sant’ Ana, horário a combinar); Sábado 01/4, em Itaquaquecetuba (Paróquia Santa Isabel de Portugal); Sábado 06/5, em Poá (Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, Centro); Sábado 10/6 às 15h, em Arujá (Paróquia Senhor Bom Jesus); em Suzano, precisamos rever, pois estava marcada para 24/6 às 8h, mas a reunião diocesana será neste dia (então, a Jornada em Suzano será no dia 24/6 às 15h, na Paróquia Santa Rita); em Santa Isabel e na região de Salesópolis e Biritiba Mirim, marcaremos posteriormente, de acordo com a programação das paróquias. Sonia retomou a palavra e pediu aos presentes uma AVALIAÇÃO DA CAMINHADA 2016, principalmente o que precisamos melhorar para 2017. Denize (Paróquia São José Operário, Jundiapeba) disse que foi um processo de transição muito difícil na paróquia, mas ela tem muito a agradecer, pois tem aproveitado muito as reuniões diocesanas; Sãozinha (Paróquia N. Sra. Aparecida e São Roque, Braz Cubas) considerou muito positivo o aproveitamento das reuniões e a divisão das Jornadas, mas houve pouca participação dos catequistas, o que precisa ser melhorado pelas paróquias. Sonia disse que sente a dificuldade de passar para os catequistas nas paróquias o que se aprende nas formações. Rossana também apontou alguns problemas na comunicação, aceita sugestões para a melhoria. Sem mais assuntos a tratar, pedimos à Irmã Semilda que conduzisse a Oração Final. E finalizamos a reunião com o “amigo chocolate” (tirado na hora e partilhando o chocolate, porque nem todos estavam prevenidos) e a confraternização, juntamente com o Parabéns ao catequista Zezinho (do Santuário Bom Jesus), aniversariante do dia.
Anexo 1 – Paróquias Presentes: Santa Isabel (Santa Isabel); N. Sra. Remédios e São José (Salesopolis); N. Sra. Fátima, N. Sra. Paz, S. Antonio de Pádua, S. Cruz e S. Margarida d’Ouville (Ferraz de Vasconcelos); Jesus Divino Mestre, N. Sra. D’Ajuda (Itaquaquecetuba); S. Rosa de Lima (Poá); Divino Espírito Santo (Suzano); Santa Ana, Santuário Senhor Bom Jesus (Regiao Catedral)Imaculado Coração de Maria, N. Sra. Aparecida e Sao Roque, N. Sra. Fátima, São Maximiliano Kolbe, Santa Cruz-Taiaçupeba, Quase-Paróquia Santa Luzia, S. José Operário-Jundiapeba (Região Braz Cubas); N. Sra. Guadalupe, S. Cruz-Ponte Grande (Região Cesar de Souza).
OBSERVAÇÃO: Atualizações em vermelho em 14/12/2016.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Programação Novembro-Dezembro

No próximo Sábado 19/11/2016 às 14h, teremos a gincana da Festa Evangelizai, na catedral diocesana. Estão convidados todas os catequizandos, especialmente crianças e jovens. Divulguem e participem! \o/

Em virtude deste evento, transferimos a nossa reunião diocesana de Novembro, do dia 19/11 às 9h na casa das irmãs catequistas (bairro do Socorro, em Mogi), para o dia 03/12 às 9h na Igreja São Benedito - Santuário Diocesano Senhor Bom Jesus (R. Ricardo Vilela, próximo ao largo Bom Jesus, esquina com R. Doutor Correia).

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Reunião diocesana de Outubro

Asos quinze dias do mês de outubro de dois mil e dezesseis, realizamos a reunião diocesana a catequese, na casa das irmãs missionarias catequistas do sagrado coração, no bairro do Socorro, para tratar dos seguintes assuntos: 1. Catequese junto às pessoas com deficiência, 2. Escuta e partilha da situação da catequese em cada paróquia, 3. Outras atividades diocesanas 2016, 4. Próxima reunião. Sonia justificou a ausência do padre Cleiton e abriu a reunião. Iniciamos com a partilha do evangelho do dia (Lucas 12,8-12). A seguir, os presentes foram convidados a falar um pouco da realidade da catequese em sua paróquia, partilhar suas vivências. Sonia esclareceu que agora o trabalho será muito maior, porque o padre Cleiton e o padre Reginaldo darão destaque também para a catequese junto às pessoas com deficiência. Por isso, precisaremos do apoio de todos e também da ajuda das quem se dispuser a entrar na equipe. Vanda (Paróquia N. Sra. Fátima, Ferraz de Vasconcelos) relatou que tem muita dificuldade por causa dos pais; hoje estão conseguindo fazer com que as crianças participarem da missa da crisma e também de uma missa especial, que é de onde estão saindo os coroinhas. Dari (Paróquia Santa Isabel) disse que já possui missa com as crianças na paróquia e é muito boa a participação, também tem problema com os pais. Cintia (Área Pastoral São Pedro, região Braz Cubas) disse que a catequese vai bem, porque tem o apoio do padre e as pastorais interagem. Regiana (Paróquia Bom Pastor, Suzano) explicou que eles fazem um trabalho de interligação com as pastorais e também junto às famílias; neste mês, farão o “Chá de bebê para Jesus”, idêntico aos tradicionais, com presentinhos e tudo mais, acrescidos da história do nascimento do Salvador. Silvana (Paróquia São Benedito, região Catedral) partilhou sua rica experiência com um menino com deficiência, com quem ela aprende muito; ele teve falta de oxigênio no cérebro, não fala, não anda, mas entende tudo, é uma bênção na vida dela! Rosildo esclarece sobre a catequese junto à pessoa com deficiência e sobre a mística que foi apresentada na Jornada Pedagógica no Sul 1, ligando pessoa com deficiência e misericórdia, levando-nos a refletir sobre as situações enfrentadas por essas pessoas, a partir de personagens com deficiência, auxiliado pela Palavra (Lc 17,11-19). Rossana apresentou o livro da Irmã Marta “Catequese especial para surdos: conhecer Jesus”, material que apresenta em LIBRAS os títulos de cada capítulo e propõe explicações simplificadas para os surdos. Paulo falou da sua vivencia sobre a catequese junto à pessoa com deficiência; também nos proporcionou uma reflexão sobre a nossa deficiência em aceitar o próximo; além disso, partilhou sobre a experiência maravilhosa da Liturgia das Horas com sua netinha de seis meses. Rossana fez uma explanação sobre a “Jornada Pedagógica da Catequese do Sul 1 junto à pessoa com deficiência”, falando um pouco da história da “Catequese junto à pessoa com deficiência”, por meio de alguns fatos e da linguagem adequada para esse assunto, que evolui ao longo do tempo, em função da compreensão que se tem sobre o assunto em cada época. Sonia lembrou a todos que no dia 19/11, data em que está prevista a nossa próxima reunião, haverá a Gincana do Evangelizai (da qual a catequese é responsável) no período da tarde, consultou os presentes sobre a permanência da data ou não. Optamos então por muda-la; como será a última reunião do ano, além do lanche comunitário, faremos um amigo chocolate e para isso traremos uma caixa de “Bis”. Devido a outros compromissos da equipe nos dias 05/11, 12/11 e 26/11, esta reunião fica marcada, então, para dia três de dezembro (03/12/2016).

Anexo 1 – Paróquias Presentes:
Regiao Catedral - Santa Ana, Santuário Senhor Bom Jesus, Santuário Mãe do Divino Amor
Região Braz Cubas – N. Sra. Fátima, São Maximiliano Kolbe, Quase Paróquia Santa Luzia,  AP São Pedro, Santa Cruz, Imaculado Coração de Maria, N. Sra. Graças, N. Sra. São Sebastião, Santa Cruz-Taiaçupeba,
Regiao Cesar de Souza – N. Sra. Guadalupe
Arujá, Guararema e Santa Isabel - N. Sra. Aparecida, Santa Isabel
Biritiba e Salesopolis - Santa Luzia, São Benedito, N. Sra. Remédios e São José.
Ferraz de Vasconcelos – N. Sra. Fátima, N. Sra. Paz
Itaquaquecetuba – N. Sra. Carmo, N. Sra. D’Ajuda, Santos Apóstolos, São Bartolomeu
Poá – N. Sra. Aparecida
Suzano – Bom Pastor, N. Sra. Lourdes, N. Sra. D´Ajuda, Santa Suzana

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Reunião diocesana de setembro


Anotações da reunião diocesana: Aos dezessete dias do mês de setembro de dois mil e dezessete, os representantes paroquiais da catequese se reuniram na casa das irmãs missionarias catequistas do sagrado coração, no bairro do Socorro, para tratar dos seguintes assuntos: 1. Avaliação da caminhada (na Diocese e na Paróquia); 2. Propostas pastorais para a catequese 2016-2017; 3. DNJ, 4. Outros. Iniciando a reunião, Pe. Cleiton proclamou evangelho do dia (Lucas 8,4-15) e Rosildo fez a reflexão com dinâmica, trazendo a terra boa e a terra com pedras. Pe. Cleiton abriu a reunião e passou a palavra para o Pe. Reginaldo Martins, coordenador diocesano de pastoral. Pe. Reginaldo se apresentou e propôs uma avaliação com três itens (1. Que bom! 2. Que pena! 3. Que tal?), em relação à Diocese e em relação à Paróquia (não foi preciso se identificar), que cada um respondeu individualmente. A partir de então, o padre expôs as propostas para a Equipe da Catequese Diocesana. 1º) Articular a “Catequese com deficientes” (inclusão); 2º) Formação missionária: nas paróquias que solicitarem, contribuindo para que o catequista dê a vida por aquilo que está assumindo (a evangelização); Sugestões: trazer Anotações sobre o desenvolvimento da formação, para facilitar a multiplicação das formações e informações; tratar mais da Metodologia; 3º) Multiplicar os acessos às formações e informações (ir ao encontro das paróquias); 4º) Aumentar e potencializar a equipe. Thiago, assessor do Setor Juventude, inicialmente explicou do quê se trata no “Setor Juventude”, que procura unir e articular os diversos movimentos e pastorais que atuam diretamente com a juventude, e no qual se inclui a Catequese. O representantes diocesanos desses diversos grupos se reúnem periodicamente, para realizar alguns eventos conjuntamente: a Formação do Setor, a Jornada da Juventude (época de Ramos) e o DNJ (Dia Nacional da Juventude), que ocorrerá no dia 23 de outubro de 2016, no Centro Pastoral São Benedito, em Biritiba Mirim. O convite para o DNJ já tinha sido feito no grupo do Whatsapp, mas o Thiago veio reforça-lo pessoalmente, para incentivar a participação dos catequistas e dos jovens crismandos e crismados. Lembrando que só o evento não evangeliza, mas pode servir de ponto de partida para a evangelização. Aberta a palavra aos presentes: Regiana (Bom Pastor, Suzano) falou que há formações on-line, por exemplo, no grupo Catequistas em Formação (no facebook); Sonia (equipe diocesana) questionou o Pe. Reginaldo qual seria a participação da Catequese na festa Evangelizai, e ficamos sabendo que é uma gincana, que ocorrerá no Sábado 19/11/2016 às 15h. Sem mais assuntos a tratar, Pe. Reginaldo encerrou a reunião com uma oração e a bênção final.
Anexo I. PARÓQUIAS PRESENTES. Região CATEDRAL: Nossa Senhora do Carmo, Nossa Senhora do Rosário, Igreja São Benedito (Santuário Senhor Bom Jesus), Igreja Maria Mãe do Divino Amor; Região Brás Cubas: Imaculado Coração de Maria, Nossa Senhora Aparecida e São Roque, Nossa Senhora de Fátima, São José Operário-Jundiapeba, Santa Cruz – Taiaçupeba, Quase-Paróquia Santa Luzia, São Maximiliano Kolbe, Área Pastoral São Pedro Apóstolo, São Sebastião, Região César de Souza: Nossa Senhora de Guadalupe, Nossa Senhora do Carmo – Sabaúna, Santa Cruz – Ponte Grande; Região Salesópolis: São José – Salesópolis; Nossa Senhora dos Remédios – Salesópolis, São Benedito - Biritiba Mirim; Região Santa Isabel: Nossa Senhora Aparecida – Arujá, Santa Isabel - Santa Isabel; Região Ferraz de Vasconcelos: Nossa Senhora Aparecida, N. Sra. Fátima, n. Sra. Paz, Santa Cruz e Santa Margarida, Santo  Antonio de Pádua; Região Itaquaquecetuba: Cristo Redentor, Jesus Divino Mestre*, Nossa Senhora D’Ajuda, São Bartolomeu; Região Poá: Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora De Fátima,  Santa Rosa De Lima ; Região Suzano: Bom Pastor, Divino Espírito Santo, Nossa Senhora de Lourdes, São Francisco de Assis.
-----------------------------------------------------------
* Corrigido em 26/09/2016 (faltava essa paróquia!)

Jubileu dos Catequistas

No dia 27/08/2016 às 9 horas os catequistas de toda a diocese se concentraram no Largo do Rosário - Mogi das Cruzes, para celebrar a sua vocação no "Dia do Catequista" Diocesano. O bispo diocesano Dom Pedro Luiz Stringhini conduziu a procissão deste local até a catedral Santa Ana. Em frente à catedral, o bispo falou sobre o jubileu da misericórdia e fez a abertura da porta santa para os catequistas. Dentro da Igreja, ocorreu a missa, incluindo a aspersão dos fiéis, também prevista no rito. Ao final da missa, fizemos pose para fotos e o Pe. Cleiton Viana da Silva, assessor diocesano da catequese, fazer uma "selfie" com todos os presentes. Depois, seguimos para o salão paroquial, onde fizemos uma confraternização com lanche comunitário: momento de descontração, encontro, partilha e alegria.

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Reunião diocesana de Junho

REUNIÃO DIOCESANA DE JUNHO. No dia dezoito de junho de dois mil e dezesseis, reunimos os representantes paroquiais de catequese na casa das irmãs missionarias catequistas do Sagrado Coração, para tratar de ENCONTRO COM OS PAIS, MISSA DO DIA DO CATEQUISTA, ITINERÁRIO CATECUMENAL, MÊS DA BÍBLIA e outros. Iniciamos a reunião com a proclamação do evangelho Mt 25,31-46 (Pe. Cleiton) e dinâmica do Dominó (Rosildo, veja Anexo 2). Em seguida, no assunto ENCONTRO COM OS PAIS, Pe. Cleiton passou para o tema da CONVIVÊNCIA FAMILIAR. Para introduzir o assunto, o padre nos recordou que nós somos projeto do Senhor desde a Criação. O Filho se apresenta para nós como aquele que tem fome, aquele que tem sede e que inspira nossos cuidados. Esses cuidados são proporcionados na família, na convivência familiar. A convivência é uma arte que precisa de vários ingredientes. Podemos comparar a convivência (que precisa ser cultivada, valorizada, apreciada), com uma macarronada (que é muito apreciada). Para a macarronada, além do macarrão, precisamos de muitos outros ingredientes: água, óleo, temperos, etc. Após breve introdução ao assunto, propôs que se formassem duplas e que cada uma escolhesse uma das etapas do desenvolvimento humano (Infância, Juventude, Maturidade, Senescência) para fazer uma reflexão, nela destacando: Características essenciais, Riqueza para a família e Desafios. (Fiz algumas anotações, que seguem no anexo.) A convivência é um espaço de necessidade (que expresso o que eu preciso) mas, ao mesmo tempo, de renúncia em favor do bem do outro. Na família, a convivência com faixas etárias diversificadas produz riqueza, aprendizagens e um sabor muito próprios! Terminada esta reflexão, passou a palavra à equipe. 
. Sonia agradeceu as contribuições com a barraca do Choconhaque na FESTA DO DIVINO e disse que a nossa responsabilidade com a barraca é grande, pois é a Catequese que organiza o pessoal para trabalhar na barraca e também acaba cuidando das arrecadações e compras para o seu funcionamento (no entanto, o dinheiro arrecadado pertence ao Centro Pastoral Diocesano, isto é, a todas as pastorais). A maior parte do leite foi doada pela Paróquia Cristo Rei (por meio de campanha de arrecadação promovida pelo Pe. Antonio Carlos Fernandes). O leite que sobrou foi doado para uma creche que atende crianças carentes. 
. Sonia também falou sobre a OLIMPÍADA CATEQUÉTICA, que se realizaria em Setembro mas será adiada para Novembro, na Festa Evangelizai! Lembramos também que a próxima reunião será em Setembro (17/9).
. Sobre o DIA DO CATEQUISTA, teremos: Comentário: N. Sra. Lourdes-Suzano, Leitura: S. Sebastião-Mogi, Preces: S. Rosa de Lima-Poá, Procissão das Ofertas: N. Sra. Aparecida e São Roque-Mogi, N. Sra. Remédios-Salesópolis, S. Cruz-Ponte Grande, Santa Ana. Faremos a concentração às 9h no Largo do Rosário, de onde seguiremos em procissão para a Missa, na Catedral.
. Sobre o MÊS DA BÍBLIA, a equipe trouxe a ideia da Bíblia peregrina, ou Bíblia missionária, que é uma Bíblia que percorre as paróquias e comunidades, nas turmas de catequese, para dar ênfase ao valor da Palavra de Deus na vida dos cristãos. Neste ano, trouxemos como proposta, a realização da Leitura Orante (e trouxemos um roteiro que foi distribuído aos presentes).
. Sobre o ITINERÁRIO CATECUMENAL, Rosildo perguntou quem (quais paróquias) já tinha implantado essa metodologia. Silvio disse que já adotatam o Itinerário há dois anos na sua Paróquia (São Bartolomeu, Itaquaquecetuba). Aparecida disse que na sua Paróquia (N. Sra. Remédios, Salesópolis) adotaram o itinerário neste ano e estão utilizando o material do Pe. Jordélio e Pe. Eduardo Calando, com linguagem adequada a cada faixa etária (crianças, jovens e adultos). Rossana trouxe o material citado para que os presentes pudessem ter um primeiro contato, se interessar e conhecer (site www.scalaeditora.com.br ); inclui uma caixa de jogos para a catequese com as crianças, que aprendem brincando. Rosildo destacou que é importante implantar o itinerário, porque nos aproxima de Jesus Cristo e nos ajuda a aprofundar na nossa fé. Paulo também deu ênfase ao itinerário, porque propõe a dimensão celebrativa na catequese, acompanhando o tempo litúrgico e, assim, enriquecendo-a ainda mais, pois se pode celebrar cada tempo na catequese na época mais apropriada, isto é, junto com toda a Igreja. Sem mais assuntos a tratar, o padre Cleiton encerrou a reunião com a oração e a benção final.

Anexo 1. PARÓQUIAS PRESENTES
1. N. Sra. Aparecida (Arujá), 2. São Bento (Guararema), 3. N. Sra. Remédios, 4. São José (Salesópolis)
5. N. Sra. Fátima, 6. N. Sra. Paz, 7. São Francisco. FERRAZ, 8. Jesus Divino Mestre, 9. N. Sra. D’Ajuda.Graças, 10. São Bartolomeu. ITAQUAQUECETUBA, 11. Imaculado Coração de Maria, 12. Mãe do Divino Amor, 13N. Sra. Ap., 14.N. Sra. Fatima (V. Jundiaí). 15. N. Sra. Guadalupe, 16. Santa Cruz (Ponte Grande), 17. S. Sebastião. MOGI DAS CRUZES, 18. S. Rosa de Lima (Poá), 19. Bom Pastor, 18. Divino Espírito Santo 19. N. Sra Loudes, 20. São Francisco. SUZANO






Anexo 2. DOMINÓ referente a Mateus 25, 31-46 (ao lado)


Anexo 3. ROTEIRO DE LEITURA ORANTE (para a Bíblia peregrina 2016) (Incluído no blog em 07/08/2016)
Anexo 4. ANOTAÇÕES DO QUADRO COMPARATIVO (levantado nesta reunião)
ETAPA
Descrição
INFÂNCIA
JUVENTUDE
MATURIDADE
SENESCÊNCIA
Características essenciais/
Riqueza para a Família/
Desafios

·  Brinca = lúdico: é divertido e tem regras;
·  Admiração: você é uma referência!
·  Curiosidade: que ajuda a aprender mais fácil;
·  Confiança;
·  Inspira cuidados e proteção.
·  Abertura a mudanças;
·  Necessidade de busca (autoconhecimento);
·  Diferenciação do eu (identidade);
·  Preocupação com o futuro;
·  Rapidez, incerteza, não tem um foco, dificuldade em manter projetos.
·  Consciência da morte;
·  Responsabilidade (capacidade de responder);
·  Mais estabilidade;
·  Mais perseverança nos projetos;
·  Atualiza-se: adequação aos novos tempos.
·  Volta a ser criança;
·  Nos faz rever conceitos;
·  Prova nossa paciência;
·  Sabedoria (Eclesiastes);
·  Desapego;
·  Nos faz mudar!
* Desafio em todas as etapas: saber cuidar, proteger e orientar, dando atenção e liberdade. *